Realiza Cuesta fortalece empreendedores da Economia Criativa na região da Cuesta Paulista

REALIZA CUESTA

Em setembro de 2021, o Instituto Jatobás em parceria com o SEBRAE, deu início a 2° edição do  Realiza Cuesta, iniciativa que tem como missão  apoiar 14 empreendimentos da Economia Criativa da região da Cuesta Paulista, em São Paulo, por meio da  Jornada de desenvolvimento integrado com duração de seis meses, além de um  prêmio de até R$5.000,00 no final do percurso. 

Clique aqui para saber mais sobre os critérios do edital Realiza Cuesta.

“A Jornada do Realiza Cuesta é uma jornada integrada, que olha para as habilidades técnicas necessárias ao empreendedor e também para o desenvolvimento do potencial humano. Através de mapas de perfil individuais e do grupo, nós customizamos conteúdos e práticas que possibilitam o trabalho de reconhecimento e ampliação dos potenciais individuais e coletivos”, conta Lígia Carnicelli, responsável pela área Jornadas dos Agentes Transformadores do Instituto Jatobás. “Nosso objetivo é que os participantes saiam conscientes de seus papéis nas suas relações e nas suas comunidades e possam impactar a região de maneira positiva através de seus negócios de economia criativa”, completa.

REALIZA CUESTA                                         Encontro realizado em outubro de 2021 na Fazenda dos Bambus em Pardinho-SP

Durante a Jornada, que encerra em abril deste ano, os empreendedores passarão por oficinas para o desenvolvimento do potencial humano e o aprimoramento das competências e habilidades técnicas. Também serão oferecidas mentorias individuais e capacitações em temas como: comportamento empreendedor, modelo de negócio, plataforma Canva, pesquisa de mercado, jornada do cliente, gestão financeira, fontes de financiamento, marketing e comunicação, formalização e encontros de fortalecimento de rede etc. 

O Realiza Cuesta evidencia os profissionais que atuam dentro da Economia Criativa, para que eles possam ter uma jornada de desenvolvimento no seu trabalho. Porque a gente sabe a dificuldade que é empreender. Não só financeira, mas emocionalmente é um desafio enorme e a jornada permite que eles tenham um preparo,” conta Vitor Souza, responsável pela economia criativa do Instituto Jatobás.

Mapeamento da Economia Criativa

Em agosto de 2021, o Instituto Jatobás realizou o primeiro mapeamento da Economia Criativa, feito a partir da escuta de profissionais da área da cultura da região da Cuesta Paulista. 

“Por meio do mapeamento nós conseguimos entender um pouco sobre o perfil dos empreendedores e artistas da região, qual  a idade, quais são as principais necessidades e os maiores empecilhos na hora de desenvolver seus projetos ou negócios”, ressalta Vitor Souza.

De acordo com Vitor, o mapeamento garante a inclusão da Cuesta como uma área de desenvolvimento criativo, permitindo que empresas, investidores e instâncias governamentais possam agir e garantir as estruturas necessárias para o crescimento econômico e social de toda região. 

O que é?

A principal matéria-prima da Economia Criativa é o capital intelectual. Os empreendedores desse segmento criam produto e/ou serviço, como ferramentas para o desenvolvimento econômico, social e cultural da sociedade.

A Economia Criativa é dividida em quatro áreas:  

  • Consumo: design, publicidade, marketing e moda;
  • Cultura: expressões culturais, patrimônio e artes, música e artes cênicas; 
  • Mídia: editorial e audiovisual;
  • Tecnologia: P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), bibliotecologia e TIC (desenvolvimento de softwares, sistemas, consultorias etc).

Segundo um estudo nacional realizado pela FGV em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa e o Sebrae, em 2020 foram gerados pela Economia Criativa 1,5 milhões de empregos, atingindo a participação de 3,9% do PIB do Estado. No Brasil, o setor é responsável por 4,9 milhões de trabalhos criativos na economia mundial. 

 

Skip to content