gabriel gurrola UuhMZEChdc unsplash

Pesquisa vai mapear iniciativas de Economia Criativa na Cuesta Paulista

Pesquisa vai mapear iniciativas de Economia Criativa na Cuesta Paulista
Podem participar artistas, produtores, arte-educadores, empreendedores criativos e demais profissionais e empresas da cadeia produtiva da arte e da cultura. O objetivo é gerar informações para a melhor compreensão das potencialidades regional.

Por Sergio Santa Rosa

No período de 04 a 21 de abril, acontece o Mapeamento da Economia Criativa – Cuesta Paulista, uma pesquisa que tem o objetivo de mapear, compreender as potencialidades, identificar oportunidades e fomentar, a partir da sua divulgação e outras ações, o trabalho de artistas, produtores e empreendedores da Cuesta Paulista, em toda a cadeia da Economia Criativa. O estudo também tem o objetivo de fundamentar um Plano de Desenvolvimento e Fortalecimento Econômico Regional. Diversas Prefeituras, o Sebrae e o Pólo Cuesta são apoiadores da iniciativa.

Por Economia Criativa entendem-se os trabalhos baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade que gera valor econômico, dentre eles: artesanato, folclore, serviços culturais em geral, museologia, produção cultural, patrimônio, serviços educacionais em arte e cultura, criação e produção musical, produção audiovisual, artes cênicas, produção editorial, artes visuais, arquitetura, design gráfico, publicidade, marketing e moda.

A pesquisa será aplicada nos municípios de Anhembi, Areiópolis, Avaré, Barra Bonita, Bauru, Bofete, Botucatu, Conchas, Itatinga, Lençóis Paulista, Pardinho, Paranapanema, Pratânia, São Manuel, Torre da Pedra, entre outros.

O Mapeamento da Economia Criativa – Custa Paulista é uma realização do Instituto Jatobás, Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos, que atua no município de Pardinho desde 2005, promovendo ações para o desenvolvimento sustentável local e tendo a cultura e o empreendedorismo como eixos estratégicos de investimento. Em 2008, o Instituto entregou a Pardinho, o Centro Max Feffer Cultura & Sustentabilidade (CMFCS) que hoje é certificado como Ponto de Cultura e um dos principais equipamentos culturais da região.

Em 2020, o Instituto Jatobás deu início ao seu plano de expansão e, a partir da sua experiência e conhecimento do potencial da região, passará a atuar em prol do desenvolvimento socioeconômico de toda a Cuesta Paulista. “Trata-se de uma região com uma veia artística e cultural muito grande e por isso, com potencial e diversidade para a Economia Criativa. E é preciso entender e pensar essas atividades como profissões que formam uma cadeia produtiva. Daí a importância de conhecer a dinâmica de atuação desses profissionais e empreendedores culturais e criativos para viabilizar a criação de um plano estratégico que contribua para potencializar a geração de trabalho e renda e promover o desenvolvimento socioeconômico regional”, explica Regiane Oliveira, Diretora do Instituto Jatobás.

A pesquisa, que tem como correalização a Giallo Marketing, Cultura, Atitude+, o Instituto Locomotiva e o SEBRAE/SP, terá como instrumento um questionário e poderá ser respondido por pessoas físicas maiores de 18 anos e empresas, com fins lucrativos, localizadas nos municípios da Cuesta Paulista e atuantes nas seguintes atividades:

CULTURA
• Expressões Culturais: artesanato, folclore
• Patrimônio e Artes: serviços culturais em geral, museologia, produção cultural, patrimônio material e imaterial, serviços educacionais em arte e cultura
• Música: criação e interpretação musical, gravação, edição, mixagem de som, serviços educacionais em música
• Artes Visuais: fotografia, escultura, pintura, ilustrações, grafitti, serviços educacionais em artes visuais
• Artes Cênicas: criação, atuação, produção, direção de espetáculos de teatro, circo, dança, serviços educacionais em artes cênicas
• Agente da cadeia produtiva – arte e cultura: iluminação, cenografia, montagem e desmontagem, acessibilidade, transporte especializado, salvaguarda de patrimônio material e imaterial, outros.

MÍDIA
• Editorial: edição de livros, jornais, revistas, conteúdo digital
• Games: desenvolvimento de jogos eletrônicos
• Audiovisual: criação, desenvolvimento de conteúdo, distribuição, programação e transmissão

CONSUMO
• Arquitetura: design e projetos (edificações, cenografia, expografia), planejamento e conservação, paisagismo
• Design: gráfico, multiídia e móveis
• Moda: desenho de roupas, acessórios e calçados, modelistas
• Publicidade e Marketing: atividades de publicidade, marketing, organização de eventos, pesquisa de mercado

Ao final do processo, os resultados do Mapeamento serão apresentados aos governos locais, parceiros e todos os que responderam a pesquisa, num evento com data e local a serem definido. O Instituto Jatobás oferecerá também aos participantes da pesquisa, dois cursos gratuitos de capacitação: um em Elaboração de Projetos e o outro em Comunicação e Marketing.

Segundo Luanda Bonadio, diretora da Giallo – consultoria criativa especializada em marketing e cultura- o Mapeamento da Economia Criativa – Custa Paulista é inspirado em ações realizadas em outras regiões do Estado de São Paulo, como o Vale do Ribeira e a Serra da Mantiqueira e tem sido um tema discutido nas secretarias estaduais de Cultura e Economia Criativa, Desenvolvimento Econômico e Turismo. “Investir no diagnóstico e no desenvolvimento de estudos para gerar informação e aprofundamento das características regionais, nos permitirá conectar potencialidades, desenvolver uma estratégica conjunta que permita fomentar e gerar transformações positivas para toda a região”.

Para mais informações, acesse: www.institutojatobas.org.br/mapeamentocuesta

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Posts relacionados

Skip to content